Mão usando calculadora

Tenho uma encomenda, e agora, quanto cobro?

 

 

Olá crocheteira! Já surgiu por aí aquela dúvida sobre quanto cobrar pelo seu trabalho? É bem comum fazermos cálculos rasos e no final do mês acabarmos saindo no prejuízo, e o resultado disso é você trabalhando muito e ganhando pouco. Tudo por falta de conhecimento sobre o que exatamente precisamos calcular para precificar corretamente nossas peças de crochê.

Mas, hoje viemos desmistificar a dificuldade que é colocada em cima da tão temida precificação. Sabemos que colocar preço em produtos feitos por nós não é uma tarefa fácil, mas que precisa ser feita pelo bom funcionamento do seu negócio.  

A fala mais comum que ouvimos por aí é: “Pra produzir essa peça, eu gastei 30 reais de material, vou colocar um pouquinho a mais, tipo uns 50 reais…”   

Geralmente, essa prática se torna comum entre as pessoas que trabalham para garantir um dinheiro extra. Um conselho: mesmo que você esteja fazendo arte por hobby ou só para ganhar um dinheirinho a mais, é muito importante que você tenha controle financeiro.   

É assim que valorizamos o nosso trabalho, gostamos cada vez mais e passamos a evoluir nas nossas criações. Por isso, precisamos valorizá-lo. 

Fazer as contas desse jeito não é nem um pouco assertivo. Cada peça vai custar um valor inferior ao ideal e, ainda, essa falta de planejamento dificulta a negociação com clientes.  

Como você saberá quanto pode oferecer de desconto se não sabe o preço mínimo exato da peça? No final das contas, você ou perde esse atrativo em vendas, ou concede descontos que irão te prejudicar.  

Agora, fique calma! Nesse post, vamos mostrar que não é esse bicho de sete cabeças e que você pode definir seus valores rapidinho.   

Para começar, vamos aprender os 3 principais fatores para precificar corretamente suas peças de crochê:

1 – O material utilizado para produzir:   

O material precisa ser calculado, mesmo que você use uma pequena quantidade de fio. É preciso saber quanto aquela parte custa e, ainda, se não for utilizar o restante do material comprado, é importante cobrar o valor integral do material.  

Não precisa fazer esse cálculo para todas as suas peças, o ideal é fazer uma tabela e colocar os valores de cada item, assim já vai criando a sua planilha de valores, de acordo com cada produto.  

Ex:    

Atenção: Não tente diminuir o valor das suas peças por meio da diminuição do valor dos materiais. Quanto maior a qualidade do seu fio, maior será a qualidade do seu produto. Então, lembre-se que investir em bons materiais, pode sim aumentar seus preços, mas também aumentará o valor que os consumidores veem nas suas criações.  

 

2 – Os seus custos fixos:  

Esses custos são as contas que você precisa pagar todos os meses como: água, aluguel, energia e internet. Se você trabalha em casa, talvez não seja necessário contabilizar esses gastos, mas se você trabalha em um ateliê é muito importante que você contabilize essas despesas.  

Obs: se você tem funcionários, o salário deles entra nesta lista. 

Para esse cálculo, entenda qual é o seu custo fixo total e divida pela quantidade de horas que irá trabalhar no mês. Assim, saberá quanto tem que adicionar em cada peça, de acordo com a quantidade de horas que leva para fazê-la.    

É muito importante que essas horas sempre sejam cobradas integralmente, afinal, as suas contas (preços fixos) não diminuem e você precisa garantir que o seu trabalho irá dar conta de pagá-las para não ter prejuízos ao final do mês. 

3 – E o seu tempo, afinal, tempo é dinheiro:  

É aqui que entra o valor do seu tempo, criatividade, estudos realizados e identidade das suas peças.  

Para esse cálculo, defina quanto você deseja ganhar por mês e depois divida pela quantidade de horas que irá trabalhar.  

Por exemplo: se você deseja receber R$2.000, 000 por mês oriundos das artes manuais, trabalhando 6 horas por dia, em 5 dias da semana (30 horas semanais), você precisará receber R$ 16, 66 por hora. Esse valor deve ser acrescentado em cada peça para pagar as suas horas trabalhadas.  

Conclusão de como precificar suas peças de crochê

O valor de R$ 65,16 é o valor mínimo que a sua peça deve custar, caso trabalhe apenas uma hora. Esse valor, não inclui nenhum lucro, é apenas quanto sua peça deve custar para não te trazer prejuízos e cobrir quanto você almeja ganhar ao mês com as suas criações.  

Mas, é claro que você pode adicionar um valor a mais pela exclusividade, benefícios e diferenciais da sua peça, inclusive, incentivamos que o faça.   

Não ache que a sua peça tem que ser barata para vender, reconhecer o seu trabalho é valorizar tudo o que estudou, seu tempo e sua paixão por essa arte. Apenas por meio da valorização somos incentivados a continuar nos nossos projetos.  

Super dica: é importante entender qual o preço da concorrência. “Quanto as outras artistas ganham?” Com base nessa resposta, você consegue entender um pouco o quanto deve cobrar a mais na sua peça. Um bom exemplo de pesquisa é o site Elo7, ele fornece uma base interessante sobre muitos materiais.   

E no site Crochê, fizeram uma calculadora para te auxiliar a chegar no seu valor apenas informando os dados mencionados acima. Acesse aqui!  

E aí, conseguiu calcular? A partir de agora, cobre por quanto o seu trabalho custa e também por quanto ele vale.  

Agora, comenta aqui, você estava precificando próximo ao valor que calculou agora?    

InstagramFacebook.  

Beijos e até semana que vem!  

#AgulhasATIVAAAR 

Marcela Novaes, redatora da Escola de Artes Manuais.

Divulgue esse Artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

12 comentários em “Tenho uma encomenda, e agora, quanto cobro?”

  1. Isabel Cristina Pichirilo da Silva

    Grata por tanta gentileza!!!
    Vc tira dúvidas muito comuns de toda artesã.
    Parabéns pelo seu trabalho e generosidade.
    Grande beijo.

  2. Sonia Maria Lino dos Santos

    Parabéns gostei muito das explicações, como sempre vc é demais, não pude continuar o curso de designer, mais assim que o médico liberar volto. Obrigado

  3. Adorei as dicas! Estou perdendo dinheiro e me desvalorizando. Muito obrigado por dividir suas experiências conosco. Bjs!!! Agulhas ativar!!!

  4. Muito relevantes nessa orientações. Não tinha ideia realmente de como calcular preços. Por estar iniciando e portanto aprendendo ainda, entendia que o valor a cobrar deveria ser baixo cobrindo apenas o gasto com material e se já tinha o material nem incluía.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Recentes